Como prevenir e proceder num sequestro

O sequestro, crime hediondo por ser covarde, humilhante e degradante que leva ao sofrimento não só a vítima mas seus familiares e amigos é repudiado pela sociedade, pois não livra do  sofrimento do cativeiro idosos ou crianças, deixando-os sofrer privações tais como: sono, fome e falta de conforto, em ambientes que variam, podendo ser um quarto, banheiro sujo, um buraco coberto por tábuas, um porta-malas de carro, etc.Locais que só uma mente maldosa pode imaginar, deixando traumas e sequelas que as vítimas e seus parentes podem levar pelo resto da vida.
A principal forma de proteção para evitar um sequestro é a prevenção. Equipes de segurança pessoal, carros blindados e equipamentos eletrônicos contribuem para que você não seja um alvo fácil.

A disciplina nos cuidados de segurança é muito importante para que os riscos sejam minimizados. A seguir algumas dicas de como prevenir-se de um sequestro:

• Procure utilizar trajetos diferenciados no seu dia-a-dia, a fim de dificultar a ação de quadrilhas que possam estar planejando sequestrá-lo. Oriente o mesmo para sua esposa ou filhos, bem como o (s) motorista (s) da casa, se existirem.

• Faça rotineiramente mudanças de horário de chegada e saída ao trabalho e em casa, isso dificulta o planejamento de ações criminosas dos bandidos.

• Utilize veículos diferentes para seus deslocamentos, evitando assim um padrão de comportamento.

• Oriente seus filhos e funcionários a não fornecer informações sobre sua família, bem como suas posses, a fim de não despertar a atenção de bandidos.

• Se um dia você for jogado dentro do porta-malas de um carro, chute as lanternas traseiras até que elas saiam, estique seu braço pelos buracos e comece a gesticular. O motorista não poderá ver você, mas as pessoas e os outros motoristas que estiverem circulando por onde seu veículo passar, verão. Isto já salvou muitas vidas.

• Procure instalar, se possível, um dispositivo dentro do portamalas, que possa fazer com que a abertura seja acionada pelo interior dele. Isto é mais fácil em carros que possuem o sistema
elétrico.

• Contrate serviços de segurança pessoal somente de empresas credenciadas junto à Polícia Federal, que tenham treinamento especializado, inclusive em direção defensiva e ofensiva, pois isto pode fazer toda a diferença na hora de uma abordagem.

Caso você tenha o infortúnio e a triste experiência de ser sequestrado, não lhe resta outra alternativa a ser adotada se não alguns procedimentos de segurança, como seguem:

1. ABORDAGEM E CAPTURA DO REFÉM:

• Momento em que os criminosos, utilizando de extrema violência e força sequestram a vítima. Nesta ocasião são vitais as seguintes atitudes:

• Não demonstre qualquer tipo de reação, pois os marginais são determinados e têm a seu favor o fator surpresa.

• Concentre-se e tente identificar o caminho do cativeiro, observando o tipo de estrada, relevo, tempo até o cativeiro e outras informações que serão de extrema importância quando da fuga e para investigações posteriores.

• No momento da captura os criminosos estão nervosos e o refém deve manter a calma, pois dessa forma estará baixando o nível de tensão no interior do veículo.

• Apesar de todas as adversidades e violência, procure conter o pânico.

• Não adianta medir “forças” com os sequestradores, eles estão armados e em maior número, uma reação poderá acarretar em violências físicas e até a morte.

2. COMPORTAMENTO NO CATIVEIRO:

Momento de maior provação do sequestrado, pois é nesta fase que a vítima é privada do maior bem do ser humano: a liberdade. Poderá durar dias, semanas e até meses e o refém tem a estranha
sensação que a qualquer momento a Polícia adentrará no cativeiro e trocará tiros com os criminosos. Durante todo o período do cárcere crie uma disciplina de adaptação ao local e à situação, pois ele será sua moradia por tempo indeterminado:

• Não perca a noção do tempo, tome como início de calendário o dia e a hora da captura.

• Estabeleça horário para dormir, alimentar-se, realizar atividades físicas. A meditação é uma boa alternativa para manter sua integridade psicológica.

• Responda para os bandidos do cativeiro somente o perguntado, evitando passar para os sequestradores informações privilegiadas (seguros ou bens) que poderão difi cultar a negociação.

• Informe sempre que a família não dispõe da quantia pedida de resgate, pois os negócios estão difíceis.

• Caso seja portador de alguma doença (coração, diabetes, pressão alta e outras) que necessite a utilização corriqueira de algum medicamento, o refém deve informar aos sequestradores qual é o tipo, dosagens e a importância destes medicamentos para sua saúde.

• Observe o comportamento dos bandidos, dentro do possível, faça alguns pedidos, tais como: jornais, revistas, lápis, papel e outros.

3. FUGA:

Faz parte da natureza humana a pessoa tentar a fuga todas as vezes que é privada de sua liberdade. Entretanto, somente deverá ser tentada, caso tenha certeza do êxito na investida. Antes da fuga,
deve considerar-se os seguintes aspectos:

• Sua condição física (refém) propiciará êxito na fuga?

• Possíveis sequelas ou ferimentos dificultam a possibilidade de sucesso na fuga.

• Aproveite possíveis falhas dos bandidos para o início da evasão.

• Caso você tenha concentrado-se no itinerário para o cativeiro, terá possibilidade de saber o que o espera fora do cativeiro (cercas, florestas, desfiladeiros, estradas, rios, lagoas, etc.)

• Se você verificar que existe uma possibilidade de fuga, estude-a minuciosamente para ter a certeza de que vai dar certo. Eles também estudaram antes de o sequestrar.

• Lembre-se de que em caso de falha na tentativa sofrerá castigos (torturas, privações e outros). Somente tente a fuga caso tenha certeza do êxito.

4. INVASÃO POLICIAL AO CATIVEIRO:

Mantenha-se sempre atento para os ruídos externos (tiros, gritos e outros). São sinais de que o cativeiro está sendo invadido. Nesta situação realize os seguintes procedimentos:

• Procure abrigar-se e proteger-se de possíveis tiros no local onde você estiver no momento da invasão. Caso não exista qualquer abrigo procure um recanto de parede.

• Não corra desorientadamente, pois poderá ser confundido com um sequestrador.

• Grite repetidas vezes o seu nome facilitando sua identificação pelos policiais.



Deixe uma resposta