fbpx

Colaboradores Corpvs mostram seus talentos artísticos

Uma exposição montada com obras de arte produzidas a partir de peças de veículos que iriam para o lixo foi montada na entrada do “buffet” onde ocorreu a festa de final de ano da Corpvs Segurança, em dezembro de 2019. Colaboradores e convidados que chegavam, paravam para admirar as esculturas e registrar por fotos.

Ao lado, o artista Francisco Antônio da Silva, o conhecido Cabo Chico. Alguns amigos colaboradores ficaram surpresos. Outros já conheciam os talentos do chefe da oficina da Corpvs. Ao longo de três anos, ele já criou 20 peças variadas como mesas de bar móvel, conjunto de mesas e cadeiras e até uma moto, tudo feito com correntes de motor.

Agora, ele foca seu trabalho artístico em miniaturas transformando velas de ignição de automóveis em bonecos, animais e veículos. “Uso martelo, alicate e solda elétrica. Olho para a peça e penso no que ela pode se transformar. Assim, vou criando”, releva sobre seu processo de trabalho.

Ele conta que na infância fazia carrinhos de madeira e até artesanato para presentear a sua mãe. “Criei gosto. Logo me aposentarei e isso vai ser meu maior passatempo”, revela contabilizando cerca de 30 anos produzindo arte. “Quando cheguei à Corpvs, visualizei o que ia para o lixo, como pneus e parafusos. Olhava e pensava: aqui dá uma cadeira. Isto aqui dá um jarro”, conta sobre o seu pensamento criativo.

Outro talento revelado na Corpvs Segurança é Alanna Ribeiro Duarte. A colaboradora do Setor de Cobranças se mostrou uma excelente pintora ao expor seus quadros na festa de comemoração de 45 anos da empresa, realizada em janeiro de 2020. “A minha relação com a pintura é desde criança. Ganhei meu primeiro kit de pintura quando pequena e adorava expressar minhas emoções através disso”, conta.

Ela pintou a águia, símbolo da empresa. “Uma forma que escolhi para presentear a Corpvs no dia do aniversário”, ressalta. Alanna conta que há três anos na Corpvs teve a oportunidade de apresentar seu talento por meio de um concurso realizado pela empresa. “Houve uma entrevista e fui convidada para mostrar minha arte. Algumas pessoas sabiam que eu era artista, mas depois do aniversário da Corpvs, da exposição na festa, meus colegas de trabalho reconheceram meu talento”, afirma.

No mundo da dança, a colaboradora Ana Cristina Ferreira mostrou o seu talento. “Desde os treze anos eu participava do grupo de dança da escola dançando folclore, quadrilha na festa junina e forró”, relembra a sua infância e o início da carreira no mundo da arte. “Qualifiquei-me e passei a ensinar forró. A dança sempre esteve presente na minha vida”, ressalta.

Ela faz parte da Central de Monitoramento da Corpvs no plantão noturno e revela ter participado de um intenso ensaio para se apresentar na festa de final de ano da empresa com o grupo de dança formado por colaboradores. “Somos de setores e horários diferentes, mas a força de vontade e o amor pela dança foram maiores. Chegávamos duas horas antes do horário de trabalho para ensaiarmos”, relembra.

Ana conta que foi uma noite cheia de “glamour”. “Tivemos muito apoio da equipe de Marketing, com vestimentas, assessórios e maquiagens. Tivemos até um camarim. Não foi só uma dança. Houve toda uma preparação com uma equipe nos apoiando para, à noite, comparecermos à festa e nos apresentarmos. Foi também uma oportunidade para conhecermos mais colegas de trabalho e nos aproximarmos mais”, afirma.

Segundo Ana, ela vai para a Corpvs todos os dias como se fosse o primeiro. “É uma empresa que valoriza o funcionário. Todos os dias vou trabalhar como se fosse o primeiro. Gosto da empresa, das pessoas e do ambiente”, finaliza.